As Nossas Fotos

 

 

A Minha Viagem…

 

No dia 16 de Março de 2017,  a minha turma do 4ºC e a do 3ºC, fizemos uma viagem a Covilhã. Partímos de Badajoz ás 8:15. O percurso de autocarro durou umas duas horas e meia, foi muito agradável, a outra turma era muito boa e muito simpática. E estávamos todos ansiosos por chegar.

Em primeiro lugar, já na Covilhã, visitámos o Museu dos lanifícios. Conhecemos as suas instalações e a sua história, mediante um guia, um senhor muito simpático. Aprendemos como se fazia a lã, como a sua tecnologia evoluiu e que aquele edifício, primeiro foi um quartel do exército, depois a fábrica de lã e por último um museu que pertence a uma universidade. A visita foi interessantísima.

 

A seguir, tínhamos de ir para o liceu, durante o caminho passámos por um parque onde havia uma fonte, eu quis vê-la de perto e o meu mau azar foi que pisei um charco que parecia  relva porque estava coberto de folhas. Mas ainda bem que eu tinha levado as botas de neve e pude trocá-las.

 

Mais tarde, por volta do meio dia, chegámos ao liceu. Entrámos na cantina e comemos. Infelizmente, não gostámos muito da comida porque estava um pouco insonsa. Depois disto, organizaram um karaoke e nós, os espanhóis quase fizemos uma festa e os alunos portugueses eram muito mais tímidos.

A segunda e última atividade no liceu, foi o peddypapper onde fizemos equipas de espanhóis e portugueses juntos. Nesta atividade pudemos conversar e conhecer alunos e alunas muito giros e sobretudo atenciosos connosco. É verdade que tínhamos gostado de voltar a ver os miúdos do ano passado porque fizemo-nos amigos mas gostámos muito destes também, divertimo-nos muitíssimo.

 

Logo, as quatro horas da tarde, subimos à Serra da Estrela. À ida, estávamos com imensa vontade de brincar na neve. À medida que íamos subindo não víamos rasto nenhum de neve, portanto começámos a ficar desiludidos.

Para a nossa surpresa, já lá em cima na serra, havia neve, não tinha muita mas a suficiente para brincar e tirar fotos.  Passámos ali quase duas horas. Quando a professora disse que tínhamos de ir embora, foi uma grande lástima.

 

Finalmente, no regresso, estávamos todos cansados e muito molhados.

 

Pessoalmente adorei a viagem, gostei muito de conhecer os miúdos portugueses; é uma oportunidade que deveríamos aproveitar todos. Gostei também da subida à neve, nem sempre posso ir à neve e desfrutar daquelas belas vistas e dos meus colegas.

 Laura Ribeiro

4ESO

Concurso Internacional de Leitura

Nesta 4ª Edição do Concurso Internacional de Leitura promovido pelo Camões, I.P., em parceria com o Plano Nacional de Leitura em Portugal, foram alguns os alunos de Bachillerato que participaram. O Manuel Vázquez do 2º de Bachillerato foi o aluno desta escola que alcançou a melhor nota. Estão todos de parabéns!

1º de Bachillerato

IMG_20170220_105759

  (Daniel Morales e Sara Teodoro)

2º de Bachillerato

IMG_20170221_092242

(Da esquerda para a direita: Manuel Vázquez, Manuel Portero, Fernando Díaz e David Cordón)

Mais histórias com 77 palavras

No blogue http://77palavras.blogspot.com.es/ da escritora Margarida Fonseca Santos, podemos consultar mais histórias de 77 palavras que os nossos alunos escreveram. O difícil desafio (nº 8) consistia em escrever apenas com as letras A E O T R S P L M N D C. Os alunos de 1º de Bachillerato B e C escreveram os seus textos e um deles foi o escolhido para ser lido na Rádio Miúdos pela escritora. A história pertence ao  aluno Enrique Ruiz Martínez com o título “Os carros”. Querem ouvir?

http://77palavras.blogspot.com.es/2016/12/os-carros.html

O preconceito

Eugénio de Andrade

Eugenio de Andrade 1O poeta nasceu na freguesia de Póvoa de Atalaia (Fundão) no dia 19 de Janeiro de 1923. Mudou-se para Lisboa aos dez anos devido à separação dos seus pais.

Frequentou o Liceu Passos Manuel e a Escola Técnica Machado de Castro de Lisboa e escreveu os seus primeiros poemas em 1936. Em 1938 enviou alguns desses poemas a António Botto que, gostando do que leu, o quis conhecer. Botto incentivou-o e em 1939, publicou o seu primeiro livro Narciso, sob o seu verdadeiro nome, que mais tarde viria a rejeitar.

Em 1943 mudou-se para Coimbra, onde regressa depois de cumprido o serviço militar convivendo com Miguel Torga e Eduardo Lourenço. Tornou-se funcionário público em 1947, exercendo durante 35 anos as funções de Inspector Administrativo do Ministério da Saúde. Uma transferência de serviço levá-lo-ia a instalar-se no Porto em 1950, numa casa que só deixou mais de quatro décadas depois, quando se mudou para o edifício da extinta Fundação Eugénio de Andrade, na Foz do Douro.

Durante os anos que se seguem até à data da sua morte, o poeta fez diversas viagens, foi convidado para participar em vários eventos e travou amizades com muitas personalidades da cultura portuguesa e estrangeira.

Apesar do seu enorme prestígio nacional e internacional, Eugénio de Andrade sempre viveu distanciado da chamada vida social.

Recebeu inúmeras distinções, entre as quais o Prémio da Associação Internacional de Críticos Literários (1986), Prémio D. Dinis da Fundação Casa de Mateus (1988), Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (1989) e Prémio Camões (2001).

Foi também tradutor de algumas obras, como dos espanhóis Federico García Lorca e Antonio Buero Vallejo, da poetisa grega clássica Safo (Poemas e fragmentos, em 1974), do grego moderno Yannis Ritsos, do francês René Char e do argentino Jorge Luís Borges.

Faleceu a 13 de Junho de 2005, no Porto, após uma doença neurológica prolongada.

Texto retirado de WIKIPEDIA.

 

Aveiro, uma cidade portuguesa

Aveiro

Imagem retirada de  http://ncultura.pt/

Leituras de Natal (2ESO)

Este ano vamos escolher o 2º e 3º livro para a nossa leitura. A seguir vamos fazer a prova que colocamos a continuação.

aventura_descobrimentos

 

Divirtam-se com a leitura!!

O VÍDEO DE NATAL MAIS EMOCIONANTE QUE EU JÁ VI (2016)

https://www.youtube.com/watch?v=J2fTZ-Et7vA&feature=youtu.be

Já estavam a espera da Música de Natal?

Esta é a música que a rádio comercial criou para este ano. Espero que gostem!